A NOSSA RELAÇÃO ESTREITA E ATUAL COM O PARQUE INDUSTRIAL EX


Se considerarmos que a indústria química, petro, petróleo e derivados brasileira começou a ser implantada na década de 30, vamos enxergar que o nosso parque industrial sujeito a riscos de explosão hoje está completando 87 anos!.. Todas essas empresas, que foram construídas no período de 1930 até 1955 esteve baseado em normas de segurança diversas, trazidas ao país pelas multinacionais químicas e farmacêuticas que aqui se estabeleceram. Com isto, nesse período tivemos que conviver com normas alemãs, suíças, francesas, etc. Nos anos 50, com a criação da Petrobras e seu programa de refino de petróleo, o país começou a viver uma nova época na segurança contra explosões. A partir desse momento ficou definido que estes riscos deviam ser gerenciados por normas americanas do NFPA...assim, todas as empresas sujeitas a riscos de explosões e incêndios do país seguiram essa regulamentação E importante destacar que ao longo de 74 anos (desde 1930 até 2004) não existiu legislação que definisse "o que devia ser feito" e essas normas NFPA que foram traduzidas para o português pertenciam a família de normas brasileiras NBR-3, entendidas como "de uso voluntário.." No período compreendido entre 1980 e 2000 houve mudanças significativas neste campo: foram adotadas as normas internacionais IEC; apareceu a portaria que fez obrigatória a certificação de equipamentos elétricos para operar nesses locais; foi revisada a NR-10 que evidenciou a necessidade de tratar dos locais sujeitos a riscos de explosão com equipamentos certificados e logo depois foi publicada a NR-20 que abordou os riscos gerados por inflamáveis e combustíveis e seu gerenciamento, etc., foi aí, nessa época quando o nosso trabalho começou!.. por meio de palestras, cursos, seminários e congressos mostramos as empresas "o que devia ser feito é como devia ser feito". Definitivamente, foi nesse momento que começou o nosso namoro com as empresas sujeitas a riscos de explosões!.. Quando as equipes de fiscalização do MTE saíram a campo para exigir o atendimento às NR-10 e NR-20, exigindo entre outras coisas a posse dos certificados de conformidade dos equipamentos elétricos instalados nas áreas potencialmente explosivas ficou em evidência que essa regularização seria inviável, pelo custo e pela impossibilidade da substituição de alguns equipamentos importantes como painéis de distribuição. Ante essa situação o valor do nosso conhecimento e do nosso trabalho ficou em evidência...mostramos para as empresas que para atender às exigências da legislação não seria necessário trocar os equipamentos existentes por outros certificados de alto valor agregado, ensinamos que existem soluções alternativas, praticas e mais econômicas que a simples troca, dando ainda a garantia da aceitação por parte do MTE e pelo Seguro.


HOJE, DEPOIS DE TODO ESSE TEMPO TRABALHANDO JUNTO ÀS EMPRESAS SUJEITAS A RISCOS DE EXPLOSÕES E INCÊNDIOS CONSEGUINDO PARA TODAS ELAS A SUA REGULARIZAÇÃO POR VALORES INSIGNIFICANTES QUANDO COMPARADOS COM AS ESTIMATIVAS INICIAIS, PODEMOS AFIRMAR QUE A NOSSA RELAÇÃO COM ELAS E DAS MELHORES ESTANDO AINDA BASEADA NA MAIS ABSOLUTA CONFIANÇA ...

#INSTALAÇÕESEX #ÁREASCLASSIFICADAS #RISCODEEXPLOSAO

RECENT POST